notícias

Rasca lança campanha pela recuperação do Rio Belém

Rasca lança campanha pela recuperação do Rio Belém

Quinta-Feira, 24 de Novembro de 2016

Foi lançada hoje, no Dia do Rio, a campanha “Mais Vida no Rio Belém”, criada pelo deputado estadual Rasca Rodrigues (PV) com o objetivo de dar início a um movimento em prol da recuperação e revitalização dos 21 km do Rio Belém. Com o apoio de quem passava pelo cruzamento entre o Viaduto Colorado e a Rua Brasílio Itiberê, no centro de Curitiba, o deputado e sua assessoria distribuíram cartilhas educativas nos semáforos do cruzamento e nas residências e comércios no entorno do rio.

“A cartilha é um chamamento para uma ação coletiva que envolverá a população, o poder público, universidades, movimentos populares e religiosos. Hoje estamos conversando com as pessoas, levando informações, fazendo uma blitz. A distribuição da cartilha é um ponto de partida, é a primeira de uma série de ações da campanha que lançamos hoje”, explicou Rasca.

O foco da campanha “Mais Vida no Rio Belém”, segundo Rasca, é mobilizar principalmente a comunidade da Bacia do Rio Belém, pessoas que moram ou trabalham nos 37 bairros que compõem a Bacia (cerca de 475 mil pessoas). “São as pessoas que, de fato, poderão mudar a qualidade ambiental, social e econômica do rio. E já percebemos que elas querem um outro Rio Belém, esperam apenas uma iniciativa, uma oportunidade. É o que estamos fazendo hoje”, completou Rasca.

Morador antigo da região central por onde passa o Rio Belém, Aziul Thomaz Junior, recebeu a cartilha com bastante entusiasmo e destacou que ações como a campanha podem mudar o comportamento da sociedade em relação ao rio. “Desde 1975 que vejo o Rio Belém mal cuidado e a situação só vem piorando. Acho que com mais informação as pessoas podem entender melhor sobre a importância do rio limpo”, contou.

A cartilha

Intitulada “Vamos dar vida ao Rio Belém?”, a cartilha oferece de forma objetiva e didática informações gerais sobre a Bacia Hidrográfica do Rio Belém, assim como trajeto completo do Rio Belém, da sua nascente no bairro Cachoeira até sua foz no Rio Iguaçu e seus principais afluentes. “Queremos que as pessoas se vejam dentro da Bacia e percebam que pertencem a ela. Todos têm um rio ou córrego que passa perto de onde moram ou trabalham”, afirmou Rasca.

Já os capítulos seguintes trazem um raio-x da situação crítica em que se encontra o Rio Belém, com base em levantamentos recentes da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e do Instituto Ambiental do Paraná. Os dados mostram que a Bacia do Belém é a mais poluída entre as seis bacias hidrográficas de Curitiba. 

No capítulo em que busca-se o envolvimento para uma ação coletiva, a publicação apresenta os principais motivos da poluição dos rios urbanos, que, no caso do Belém, são as ligações irregulares de esgoto, o descarte clandestino de resíduos da construção civil e a degradação das mata ciliares com a ocupação irregular de suas margens.

De acordo com dados apresentados na cartilha, 90% da poluição das águas do Rio Belém tem origem na descarga irregular do esgoto doméstico. Somente nos 37 bairros que compõem a Bacia do Belém ainda há 9.153 ligações irregulares de esgoto, apesar de 95% dos imóveis possuírem cobertura da rede coletora da Sanepar.

Com a identificação do problema principal, o manual traz soluções para que os moradores, que ainda estejam em situação irregular, possam fazer a regularização. “O material permite que os moradores da bacia tenham um panorama geral, visualizem o problema e sua dimensão, principalmente, saibam o que fazer para resolver o problema”, completou o deputado.

VEJA TAMBÉM

Apenas 2% dos municípios do Paraná têm planos de conservação da Mata Atlântica
Lançamento do projeto "Planos Municipais da Mata Atlântica no Paraná" na Assembleia Legislativa
População e especialistas se posicionam sobre possível redução do Parque Lago Azul, em Campo Mourão
Audiência pública debaterá projeto que pretende reduzir 70% do Parque Lago Azul
Desenvolvido por
Ubis Ideias Digitais logo
Ideias digitais