notícias

Desmatamento da Mata Atlântica cresce 74% em um ano no Paraná

Desmatamento da Mata Atlântica cresce 74% em um ano no Paraná

Terca-Feira, 30 de Maio de 2017

O Paraná é o terceiro estado brasileiro que mais desmatou floresta de Mata Atlântica, no período de 2015-2016, de acordo com os novos dados do Atlas da Mata Atlântica, divulgado nesta segunda-feira (29), pela Fundação SOS Mata Atlântica e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Foram desmatados no período 3.545 hectares no estado, 74% de aumento em relação ao estudo anterior (2014-2015), índice maior que o nacional, que apresentou aumento de 58% (29.075 hectares). 

O deputado estadual Rasca Rodrigues (PV), em discurso na Assembleia Legislativa do Paraná nesta terça-feira (30), classificou os resultados como um risco à meta do estado em alcançar o desmatamento ilegal zero até 2018. “É um dado triste para o Paraná, pois em 2015 o estado assumiu o compromisso pelo desmate zero, quando se obtém índices abaixo de 100 hectares ao ano, mas o que vemos é um resultado 35 vezes maior do que se propunha”, afirmou o deputado, que coordena a Frente Parlamentar Ambientalista.

De acordo com o estudo, após dois anos do acordo (maio de 2015), apenas cinco dos 17 estados signatários estão na meta do desmatamento zero: Rio Grande do Norte (6 ha), Alagoas (11 ha), Paraíba (32 ha), Pernambuco (16 ha) e, Rio de Janeiro (66 ha). Nesta edição, deixaram a lista Goiás, com 149 ha desmatados; Ceará, com 797 ha e São Paulo, com 730 ha. 

Já o Paraná vem se afastando cada vez mais da meta, pelo segundo ano consecutivo que o índice sobe no Paraná. No período 2013-2014, o estado desmatou 921 ha, já em 2014-2015 foram 1.988 ha, aumentando 116%. Para piorar, no estudo atual, as entidades fazem um alerta: a destruição concentra-se na região das araucárias, espécie ameaçada de extinção, com apenas 3% de florestas remanescentes.

“O crescimento acima da média nacional, pelo segundo ano como o estado que mais desmatou no sul do Brasil, é consequência de vários fatores, entre eles, o afastamento da fiscalização. Infelizmente, nos últimos anos, nossa polícia ambiental ficou enquartelada, sem recursos para poder combater este crime. Esperamos que com o novo convênio, os recursos sejam liberados para novamente entrarmos na lista dos poucos estados que visam o desmatamento zero”, completou Rasca.

Confira na tabela abaixo o ranking dos estados que mais desmataram:

 

VEJA TAMBÉM

Sancionada lei que regulamenta descarte de recicláveis em comércios varejistas no Paraná
Assembleia sedia lançamento de livro e exposição de fotos sobre o tropeirismo e os Campos Gerais
Rasca e gestores discutem ações em prol dos animais para Pontal do Paraná
Audiência pública na Assembleia Legislativa debate questão da exploração econômica da água
Desenvolvido por
Ubis Ideias Digitais logo
Ideias digitais